Aldactone 25 Mg C/ 30 Comprimidos

Produto indisponível no momento.

De: R$24,98

Por: R$21,32

ou
R$20,68
no Boleto Bancário (3% de desconto)

Produto indisponível no momento.
Avise-me quando chegar!

Pagamento com Cartão de Crédito visa mastercard diners amex
Outras formas de pagamento Boleto Bancário Itaú Santander Banco do Brasil

Parcelamento com: Cartão de Crédito Visa

Parcelas Valor
01 x sem juros R$ 21,32
02 x com juros R$ 11,19
03 x com juros R$ 7,67
04 x com juros R$ 5,91

*Parcelamento sem juros somente valor mínimo de R$ 50,00 por parcela.

Parcelamento com: Cartão de Crédito Mastercard

Parcelas Valor
01 x sem juros R$ 21,32
02 x com juros R$ 11,19
03 x com juros R$ 7,67
04 x com juros R$ 5,91

*Parcelamento sem juros somente valor mínimo de R$ 50,00 por parcela.

Parcelamento com: Cartão de Crédito Diners

Parcelas Valor
01 x sem juros R$ 21,32
02 x com juros R$ 11,19
03 x com juros R$ 7,67
04 x com juros R$ 5,91

*Parcelamento sem juros somente valor mínimo de R$ 50,00 por parcela.

Parcelamento com: Cartão de Crédito Amex

Parcelas Valor
01 x sem juros R$ 21,32
02 x com juros R$ 11,19
03 x com juros R$ 7,67
04 x com juros R$ 5,91

*Parcelamento sem juros somente valor mínimo de R$ 50,00 por parcela.

Pagamento via boleto bancário, em qualquer agência bancária.

Pagamento via depósito em conta corrente ou débito online.

Pagamento via depósito em conta corrente.

Pagamento via débito online.

 drogaria cisne Aldactone 25 Mg C/ 30 Comprimidos

Duplo clique na imagem para vê-la ampliada

 drogaria cisne Reduzir
 drogaria cisne Aumentar

Mais visualizações

  •  drogaria cisne

Clique na imagem para ampliar

Informações sobre o Produto

 

 Aldactone


Apresentação 

compr. de 25 mg - emb. c/ 20 ou 30 unidades. compr. de 50 mg - emb. c/ 10, 20 ou 30 unidades. compr. de 100 mg - emb. c/ 10 ou 16 unidades.

 

 

Informações

Aldactone é um antagonista específico da aldosterona, atuando através da ligação competitiva nos receptores de troca de sódio e dependente localizados no túbulo contornado renal distal. Aldactonediurético poupador de potássio causando aumento nas quantidades serem excretadas enquanto o potássio e magnésio são conservados.

 

 

Indicações

Hipertensão essencial, distúrbios edematosos, tais como: edema e ascite da insuficiência cardíaca congestiva; cirrose hepática; síndrome nefrótica; edema idiopático; como terapia auxiliar na hipertensão maligna; na hipopotassemia quando outras medidas forem consideradas impróprias ou inadequadas; profilaxia da hipopotassemia e hipomagnesemia em pacientes tomando digitálicos ou quando outras medidas forem inadequadas ou impróprias. Diagnóstico e tratamento do aldosteronismo primário. Tratamento pré-operatório de pacientes com hiperaldosteronismo primário.

 

 

Contra-indicações 

Insuficiência renal aguda, diminuição significativa da função renal, anúria e hiperpotassemia, doença de addison ou hipersensibilidade a espironolactona.

 

 

Reações adversas 

Ginecomastia pode se desenvolver em associação com o uso da espironolactona, e o médico deve estar alerta para sua possível instalação. O desenvolvimento da ginecomastia tanto parece estar relacionado a nível da posologia como à duração da terapêutica, e é normalmente reversível quando o uso de Aldactone é descontinuado. Em raras ocasiões, algum aumento das mamas pode persistir. Dos efeitos adversos reportados em experiência pós-marketing com espironolactona, os seguintes foram relatados com frequência = 1%: distúrbios gastrintestinais, náusea, sonolência , tontura, função hepática anormal, insuficiência renal aguda, trombocitopenia, leucopenia (incluindo agranulocitose), cansaço, dor de cabeça, erupção cutânea, alopécia, hipertricose (crescimento de cabelo anormal), dor e neoplasma nos seios, mal estar, hiperpotassemia, distúrbios eletrolíticos, alterações na libido, urticária, confusão mental, febre, ataxia, impotência, distúrbios menstruais, cãibras nas pernas. Tem sido observado carcinoma mamário em pacientes tomando espironolactona, todavia uma relação de causa e efeito não pôde ser estabelecida.

 

 

Posologia

HIPERTENSÃO ESSENCIAL Dose usual: 50 a 100mg por dia, que nos casos resistentes ou severos pode ser gradualmente aumentada em intervalos de duas semanas até 200mg/dia. A dose diária pode ser administrada em doses fracionadas ou em dose única. O tratamento deve ser mantido por no mínimo duas semanas, visto que uma resposta adequada pode não ocorrer antes deste período de tempo. A dose deverá ser, posteriormente, reajustada de acordo com a resposta do paciente. DOENÇAS ACOMPANHADAS POR EDEMA A dose diária pode ser administrada tanto em doses fracionadas como em dose única. INSUFICIÊNCIA CARDÍACA CONGESTIVA Dose usual: 100mg/dia. Em casos resistentes ou severos, a dosagem pode ser gradualmente aumentada até 200mg/dia. Quando o edema estiver controlado, a dose habitual de manutenção deve ser determinada para cada paciente. CIRROSE HEPÁTICA Se a relação urinária sódio/potássio (Na+ / K+) for maior que 1 (um), a dose usual é de 100mg/dia. Se esta relação for menor do que 1 (um), a dose recomendada é de 200 a 400mg/dia. A dose de manutenção deve ser determinada para cada paciente. SÍNDROME NEFRÓTICA Habitualmente 100 a 200mg/dia. A espironolactona não é medicamento antiinflamatório, não tendo sido demonstrado afetar o processo patológico básico, e seu uso é aconselhado somente se os glicocorticóides isoladamente administrados não forem suficientemente eficazes. EDEMA IDIOPÁTICO A dose habitual é de 100mg por dia. EDEMA EM CRIANÇAS A dose diária inicial é de aproximadamente 3,3mg por Kg de peso administrada em dose fracionada. A dosagem deverá ser ajustada com base na resposta e tolerabilidade do paciente. Se necessário pode ser preparada uma suspensão triturando os comprimidos de Aldactone com algumas gotas de glicerina e acrescentando líquido com sabor. Tal suspensão é estável por um mês quando mantida em local refrigerado. DIAGNÓSTICO E TRATAMENTO DO ALDOSTERONISMO PRIMÁRIO Aldactone pode ser empregado como uma medida diagnóstica inicial para estabelecer evidência de aldosteronismo primário enquanto o paciente estiver em dieta normal. TESTE A LONGO PRAZO Aldactone é administrado em uma dosagem diária de 400mg por 3 ou 4 semanas. Correção da hipopotassemia e da hipertensão revela evidência presuntiva para o diagnóstico de hiperaldosteronismo primário. TESTE DE CURTO PRAZO Aldactone é administrado em uma dosagem diária de 400mg por 4 dias. Se o potássio sérico se eleva durante a administração de Aldactone, porém diminui quando é descontinuado, o diagnóstico presuntivo de hiperaldosteronismo primário deve ser considerado. Quando o diagnóstico de hiperaldosteronismo for bem estabelecido por testes mais definitivos, Aldactone pode ser administrado em doses diárias de 100 a 400mg como preparação para a cirurgia. Para pacientes considerados não aptos para cirurgia, Aldactone pode ser empregado como terapia de manutenção a longo prazo, com o uso da menor dose efetiva individualizada para cada paciente. HIPERTENSÃO MALIGNA Somente como terapia auxiliar e quando houver excesso de secreção de aldosterona, hipopotassemia e alcalose metabólica. A dose inicial é de 100mg/dia, aumentada quando necessário a intervalos de duas semanas para até 400mg/dia. A terapia inicial pode incluir também a combinação de outras drogas anti-hipertensivas à espironolactona. Não reduzir automaticamente a dose dos outros medicamentos como recomendado na hipertensão essencial. HIPOPOTASSEMIA/ HIPOMAGNESEMIA A dosagem de 25mg a 100mg por dia é útil no tratamento da hipopotassemia e/ou hipomagnesemia induzida por diuréticos, quando suplementos orais de potássio ou magnésio forem considerados inadequados.

 

 

Informações adicionais

Breve Descrição

 

ID do produto 7891268100211
Fabricante Searle
Princípio Ativo N/A
Indicação Principal N/A

Avaliação de outros consumidores

Nenhuma opinião enviada

Avalie este Produto

Como você classifica este produto? *

 
Qualidade